16,97 

A malnascida

Com ecos de autores como Natalia Ginzburg, Alberto Moravia ou Elena Ferrante, eis a estreia fulgurante de uma escritora cuja mestria literária se dedica, neste romance, à procura da origem do mal e dos obstáculos à liberdade individual.

PRÉMIO SCUOLA HOLDEN

712 em stock

Também disponível em EBOOK:

Características

Chancela Alfaguara

Tradutor Ana Cláudia Santos
ISBN 9789897848728
Data de publicação Outubro de 2023
Edição atual 2.ª
Páginas 248
Apresentação capa mole
Dimensões 150x235mm

Coleção Alfaguara

Idade recomendada Adultos
Partilhar:
Descrição

Monza, Itália, 1936. Francesca, de 13 anos, está nas margens do rio Lambro, vergada sob o peso de um homem morto que tentou violá-la. Maddalena, amiga de Francesca, sai da água e ajuda-a a livrar-se do corpo: escondem-no no meio de arbustos. Este momento é um marco inolvidável na relação entre as duas raparigas, que começa um ano antes, quando Francesca se deixa fascinar por aquela a quem todos chamam «a Malnascida»: uma rebelde de origens humildes e com estranhos poderes.

Contrariando a vontade da sua mãe, obcecada pelas convenções sociais burguesas, e ignorando os rumores que atribuem várias mortes à «Malnascida», Francesca junta-se ao seu bando de amigos «problemáticos», ávida por descobrir um modo de vida em absoluta liberdade. Entre as duas amigas, contudo, imiscui-se a guerra e o fascismo. Francesca e Maddalena terão de fazer uma difícil escolha: aliar-se contra a opressão social e a injustiça, ou deixar que o curso da História as separe para sempre.

A Malnascida é o elogiado romance de estreia da italiana Beatrice Salvioni, distinguido com o prémio literário Scuola Holden, criado pelo premiado escritor Alessandro Baricco. Uma inesquecível história de amizade e crescimento, sob o pano de fundo da Itália fascista.

«O indiscutível fenómeno literário do ano. […] Um livro magnético.»
El Confidencial

«Fazendo uso de uma voz literária incomum e categórica, esta jovem escritora constrói um romance de formação pessoal e cívica, dando vida a um fresco de personagens que se movem em tons de claro-escuro e a um dispositivo narrativo muito bem oleado, marcado por uma escrita depurada e por diálogos eficazes.»
Corriere della Sera

«Surpreendente e fascinante maturidade linguística e domínio da narrativa. […] Beatrice Salvioni consegue imaginar universos literários nos quais ressoam grandes temas contemporâneos: o mundo visto pelas crianças, o direito à diferença, a condição da mulher, a violência cega da ideologia.»
Il Venerdì

«A malnascida é um Bildungsroman e um hino à amizade e ao seu poder disruptivo.»
Il Foglio

«Eis uma história que nos é próxima. Salvioni usou o fascismo para ver melhor o presente.»
La Stampa

«A “malnascida” que conhecemos ao longo desta história é uma pequena encarnação do inferno. Uma daquelas figuras incómodas que, na Idade Média, seriam atiradas à fogueira. […] Maddalena é uma personagem sólida e cálida, que se solta das páginas deste romance com um sopro quase percetível.»
La Repubblica

«Com um desenlace brilhante, Salvioni dá o toque final a uma história plena de justiça e injustiça, e de raiva, mas acima de tudo uma história sobre o poder do amor, mesmo quando o que reina é a miséria humana.» EFE

«Um fenómeno literário a não perder de vista.»
Diari de Tarragona

Do mesmo autor
Nenhum resultado encontrado.
Outras sugestões

17,50 

Mal Me Quer

16,91 

A Casa na Floresta

16,91 

Sem Saída (Taylor Adams)

19,78 

Um por Um

17,96 

O Diário do Meu Desaparecimento

16,91 

Private: Principal Suspeito

Artigos relacionados com o autor
Nenhum resultado encontrado.