16,61 

Lucy à beira-mar

Distinguida com o Prémio Pulitzer, a extraordinária escritora Elizabeth Strout regressa, neste romance, à sua icónica personagem Lucy Barton, protagonista de uma história de empatia, emoção, perda e esperança.

Um dos melhores livros do ano:

The New York Times Book Review, The New Yorker, Time, The Washington Post

825 em stock

Também disponível em EBOOK:

Características

Chancela Alfaguara

Tradutor Tânia Ganho
ISBN 9789897848674
Data de publicação Abril de 2023
Edição atual 1.ª
Páginas 280
Apresentação capa mole
Dimensões 150x235mm

Coleção Alfaguara

Idade recomendada Adultos
Partilhar:
Descrição

Quando o medo pandémico se apodera da cidade, Lucy Barton abandona Manhattan e muda-se com William, o seu ex-marido, para uma pequena cidade costeira no Maine. Nos meses que se seguem, os dois vivem numa casa perto do mar, experiência que vai revelar-se transformadora. Lucy e William voltam a ser os companheiros de há tantos anos — a diferença é que se encontram isolados do mundo em colapso, estando a sós com um complexo passado, com as suas memórias e com os seus desejos.

Elizabeth Strout explora os interstícios do coração humano e compõe um retrato revolucionário e luminoso das relações íntimas durante os confinamentos. No cerne desta história estão os laços profundos que nos unem, mesmo quando separados: o vazio após a morte de alguém que amamos, ou o consolo de um antigo amor que afinal perdura.

Os elogios da crítica:

«O livro mais subtil e intensamente comovente de Elizabeth Strout. Uma obra verdadeiramente monumental.» — The Guardian

«Nenhuma outra escritora da atualidade revela este sentido de empatia. […] Que muitos leitores se sintam engrandecidos, reconfortados e genuinamente animados pela história de Lucy Barton.» — The Boston Globe

«Delicada e elíptica, Elizabeth Strout revela uma prosa elegante e enganadoramente ligeira.» — The New York Times Book Review

«Comovente e sombrio, maravilhosamente escrito e terno sem ser delicodoce, este romance é capaz de falar sobre amor e amizade, alegria e ansiedade, dor e tormentos, solidão e vergonha, e ainda sobre uma crescente inquietação. […] Revela uma compreensão sem limites da condição humana.» — NPR

«Umaescritora elegante, engenhosa e de apurada sensibilidade: um valor seguro para todos os leitores exigentes.» — Babelia

«A grande virtude de Elizabeth Strout é a desafetação: as histórias não precisam de ser grandiosas, porque a experiência humana também não o é; acontece no quotidiano, nas conversas, nos gestos. Os romances de Strout são universais.» — Los Angeles Times

«Uma escrita assim nasce de um compromisso para escutar, de uma sintonia perfeita com a condição humana, de um cuidado tão extremo para com a realidade, que deixa de ser uma competência para se tornar uma virtude.» — Hilary Mantel

«Uma das minhas escritoras de eleição. A complexidade, a espessura e a entrega que se vislumbram nestas páginas transformam-nas num feito milagroso.» — Ann Patchett

Do mesmo autor

18,86 

Amy e Isabelle

15,70 

O meu nome é Lucy Barton

15,71 

Oh, William!

17,95 

Olive Kitteridge

11,66 

Olive Kitteridge (Livro de Bolso)

10,76 

O meu nome é Lucy Barton (Livro de Bolso)

15,71 

Tudo é possível

11,66 

A segunda vida de Olive Kitteridge (Livro de Bolso)

17,95 

A segunda vida de Olive Kitteridge

Outras sugestões

11,65 

Hollywood (Livro de Bolso)

13,91 

Lavoura arcaica

15,75 

Irmão de gelo

14,36 

Recolha de Morel (Enciclopédia da Estória Universal 0)

13,95 

Benjamim

14,31 

1933 foi um mau ano

Artigos relacionados com o autor
Nenhum resultado encontrado.