18,86 

Intervenções

Pela primeira vez em Portugal, o livro de ensaio e opinião de Michel Houellebecq, tão respeitado enquanto escritor como polémico enquanto pensador.

830 em stock

Também disponível em EBOOK:

Características

Chancela Alfaguara

Tradutor José Mário Silva
ISBN 9789897842078
Data de publicação Junho de 2021
Páginas 384
Apresentação capa mole
Dimensões 150x235mm

Coleção Alfaguara

Idade recomendada Adultos
Partilhar:
Descrição

«Avançamos para a catástrofe, guiados por uma imagem falsa do mundo; e ninguém o sabe. (…) Se nos mantivermos numa visão mecanicista e inpidualista do mundo, morreremos. Não me parece sensato permanecer mais tempo na esfera do sofrimento e do mal. Há cinco séculos que a ideia do eu ocupa todo o espaço; é tempo de bifurcarmos.»

Literatura, religião, fé, arte, filosofia, feminismo, conservadorismo, amor – neste volume de textos, Michel Houellebecq regressa aos temas que sempre lhe interessaram para dar a conhecer os pontos de vista que o têm celebrizado: frequentemente polémicos, quase sempre provocadores, sempre estimulantes.

Numa obra de ficção, é impossível separar completamente o escritor do pensador, e é inevitável atribuir a crença ou o ponto de vista de uma personagem ao seu criador. Notável prosador, Michel Houellebecq é frequentemente alvo de críticas ou polémica sempre que um seu romance toma partido ou antevê possibilidades que nos são dolorosas.

Neste primeiro livro de opinião publicado em Portugal – onde encontramos o escritor a fazer um elogio a Trump ou numa conversa íntima com um amigo escritor, a defender o conservadorismo moderado ou a exaltar a literatura e o amor – temos um Michel Houellebecq mais directo, mais despido do filtro da ficção, sempre fascinante. Vemos um homem – que calha ser um dos escritores mais relevantes do presente – de pensamento absolutamente livre, impossível de definir com rótulos simplistas, um analista implacável daquilo a que chama a “comunidade humana”.

Os elogios da crítica:

«As lutas de Houellebecq são fundamentais, necessárias, na sua visão da arte e da sociedade.» — DNA

«Michel Houellebecq é divertido, inteligente, e sempre definitivo.» — Paulin Césari, Le Figaro

«Houellebecq antecipou a chegada da desumanização. Percebeu que o clima de liberdade em que vivemos não passa de mais uma exortação.» — Yasmina Reza

«Michel Houellebecq pode bem ser o romancista mais interessante dos nossos tempos.» —

Evening Standard

«O que me impede de ler os livros de Houellebecq e ver os filmes de Lars von Trier é uma espécie de inveja. Não porque inveje o seu sucesso, mas porque ler esses livros ou ver esses filmes obrigar-me-ia a contemplar quão excelsa pode ser uma obra e quão inferior é o meu trabalho.» — Kark Ove Knausgård

Do mesmo autor

17,95 

Serotonina

11,65 

Serotonina (Livro de Bolso)

17,95 

Submissão

17,96 

Plataforma

15,26 

Extensão do domínio da luta

11,66 

O mapa e o território (Livro de Bolso)

22,46 

Aniquilação

19,71 

A possibilidade de uma ilha

12,15 

Lanzarote

18,41 

As partículas elementares

18,86 

O mapa e o território

11,65 

Submissão (Livro de Bolso)

Outras sugestões

20,66 

Rapazes de Zinco

17,91 

Casa de férias com piscina

14,93 

Final do Jogo

15,98 

Outono

14,38 

Romance 11, Livro 18

11,65 

Hollywood (Livro de Bolso)

Artigos relacionados com o autor
Nenhum resultado encontrado.